Filipe Toledo supera Gabriel Medina e é campeão do Surf Ranch


Brasileira Tatiana Weston-Webb terminou em 3º na disputa
feminina. Yago e Mineirinho ficam em 5º

  

Depois de bater na trave nas duas últimas edições, Filipe
Toledo, enfim, conseguiu faturar o título do Surf Ranch. A 6ª etapa da Liga
Mundial terminou neste domingo, em Lemoore (EUA), com mais uma decisão
brasileira entre Filipinho e Gabriel Medina. Só que dessa vez o surfista de
Ubatuba levou a melhor sobre o bicampeão da prova, por 17,94 a 10,60, para
faturar o único evento da elite disputado em uma piscina de ondas.

Com a vitória, Filipinho chegou a 32.065 pontos e assumiu a
3ª posição no ranking, logo atrás de Italo Ferreira, com 33.555. Gabriel Medina
segue isolado na ponta, agora com 46.720, e já assegurou matematicamente a
classificação para WSL Finals. A competição reunirá os 5 melhores dos rankings
masculino e feminino para decidir o título mundial em Trestles (EUA), em
setembro.

- Nas duas últimas ,o Gabriel me venceu e ficou aquele gosto
amargo. Significa muito para mim essa vitória. Não só pelo título e por estar
mais próximo da WSL Finals, mas porque hoje é dia dos pais e minha família está
toda aqui - comemorou Filipinho, que mora na Califórnia com a esposa, os dois
filhos, os pais e os irmãos mais novos.

 

No feminino, a francesa Johanne Defay foi a grande campeã.
Ela conseguiu um total de 16,63 pontos na final, contra 16,23 da havaiana
Carissa Moore. A brasileira Tatiana Weston-Webb terminou em terceiro na disputa
e ocupa a quarta posição no ranking.

O Circuito Mundial agora dá uma parada para a disputa dos
Jogos Olímpicos de Tóquio, que começam no dia 23 de julho. A próxima etapa do
tour começa dia 10 de agosto, no México.

 

Confira os 5 primeiros dos rankings:

 

MASCULINO

1- Gabriel Medina (BRA) - 46.720

2 - Italo Ferreira (BRA) - 33.555

3 - Filipe Toledo (BRA) - 32.065

4 - Morgan Cibilic (AUS) - 24.610

5 - Griffin Colapinto (EUA) - 24.235

 

FEMININO

1 - Carissa Moore (HAV) - 43.855

2 - Johanne Defay (FRA) - 34.645

3 - Sally Fitzgibbons (AUS) - 34.270

4 - Tatiana Weston-Webb (BRA) - 33.625

5 - Stephanie Gilmore (AUS) - 29.390

Brasil chega com 5 nas semis

As semifinais da competição reuniram os 8 melhores homens e
as 4 melhores mulheres do qualificatório. Cada surfista teve 4 ondas (2
direitas e 2 esquerdas) para definir os 2 finalistas de cada categoria. No
masculino, o Brasil tinha Filipe Toledo, Gabriel Medina, Yago Dora e
Mineirinho, contra os americanos Kelly Slater e Griffin Colapinto, o japonês
Kanoa Igarashi e o australiano Ethan Ewing.


Já no feminino Tatiana Weston-Webb decidiu com a havaiana
Carissa Moore, a australiana Sally Fitzgibbons e a francesa Johanne Defay as
duas vagas para a grande decisão. Depois de cometer falhas na finalização das
duas primeiras ondas e começar em último nas semis, Tati veio com tudo na
segunda chance, conseguiu um total de 15,77 pontos e pulou para segundo, atrás
de Defay. Só que, em sua última onda, Carissa acabou ultrapassando a
brasileira, que terminou na 3ª posição.

 

No masculino, a disputa pelas duas vagas foi até as últimas
ondas. O japonês Kanoa Igarashi conseguiu se meter entre os dois surfistas que
dominaram os últimos 2 anos do Surf Ranch, liderando a disputa contra Filipe e
Medina com um total de 16,93 pontos. Só que os brasileiros guardaram o melhor
para o fim. Medina (18,10) e Filipe (17,74) brilharam nas últimas ondas,
assumindo a primeira e a segunda posições, respectivamente, decidindo mais uma
vez o Surf Ranch Pro.

Na final, Filipinho conseguiu um 9,67 em um direita incrível
e deixou Medina precisando de um 9,28 para virar em sua última onda. O
bicampeão da prova acabou caindo em um aéreo, deixando o caminho livre para
Toledo comemorar o seu primeiro título na piscina de ondas e 10º da carreira.

 

Yago brilha, e Mineirinho é homenageado

Um dos grandes momentos do dia foi a apresentação do
brasileiro Yago Dora para conseguir uma vaga nas semifinais. Depois de sair do
top-8 e entrar na rodada de bônus tendo que melhorar as suas notas para se
classificar, Yago não só conseguiu trocar as duas, como fez a maior nota do
campeonato até então: 9,50. O brasileiro abriu a onda acertando uma aéreo
reverse, conseguiu um belo layback e finalizou com mais um aéreo reverse muito
alto para tirar a nota e se classificar com a terceira melhor apresentação da
fase qualificatória (16 pontos), atrás apenas de Medina (17) e Filipinho
(17,80).

Nas semis, Yago mais uma vez conseguiu surpreender na
esquerda, conseguindo acertar 3 aéreos reverses na onda e tirando a maior nota
de todo o evento: 9,73. Apesar do notão, o catarinense acabou sendo eliminado
porque não foi bem na direita e terminou na quinta posição. Com 20.215 pontos,
Yago pulou para a 8ª posição no ranking e está a 4.020 da quinta colocação, que
garante vaga na WSL Finals.

Adriano de Souza também ficou em quinto em Lemoore e agora
ocupa a 13ª posição no ranking, com 15.735 pontos. Em sua última temporada no
tour, Mineirinho foi homenageado por todos os surfistas brasileiros e a pela
lenda do esporte Kelly Slater, que competiram vestindo uma camisa de lycra com
seu número 13 e o sobrenome "de Souza" nas costas..





















































 



GALERIA

Respiramos duas Rodas

• Copyright (c) 2021 • All rights reserved • Under your spell DP •