Bike


Red Bull Rampage AO VIVO NO CROSS RACING

Bike 15/10/2021
Para opções de idioma adicionais 🇩🇪🇪🇸🇮🇹🇧🇷🇷🇺🇵🇱🇫🇷, visite Red Bull TV agora 👉http: //redbull.com/rampage [foto1]O principal evento de freeride de montanha grande do esporte, o Red Bull Rampage está pronto para retornar em 2021. Marcando o aniversário de 20 anos de alguns dos maiores e mais piores truques, linhas e momentos da história do freeride, 15 dos melhores pilotos do mundo descerão sobre a paisagem desértica acidentada do sul de Utah em 15 de outubro.Experimente o mundo da Red Bull Bike como você nunca viu antes. Com os melhores vídeos de bicicleta, de Mountain Bike Downhill a Cross Country mais BMX e séries originais, prepare-se para o seu "fator de avivamento" estar em alta.Assine a Red Bull Bike no Youtube: https://win.gs/SubToRedBullBikeObtenha os aplicativos da Red Bull TV GRATUITOS para todos os seus dispositivos: http://onelink.to/yfbct7Assistir à Red Bull TV: https://win.gs/WatchRBTVBikeVeja o nosso mundo: http://goo.gl/J49URed Bull Bike no Facebook: https://win.gs/RedBullBikeFacebookRed Bull Bike no Instagram: http://win.gs/RedBullBikeInstagram

Com exclusividade, ESPN transmite X Games 2021 a partir desta quarta-feira

Bike 14/07/2021
Os canais ESPN transmitirão os X Games 2021 com exclusividade para todo Brasil a partir desta quarta-feira (14). A competição conhecida como as “Olimpíadas dos Esportes Radicais” acontecerá na Califórnia e será exibida entre os dias 14 e 17 de julho, contando com mais de 12h de transmissões ao vivo na programação da ESPN, ESPN 2 e também no ESPN App. [foto1]O X Games 2021 será a competição final antes de muitos atletas de skate e BMX seguirem para Tóquio para sua estreia olímpica, incluindo Leticia Bufoni, uma das maiores esperanças de medalha do Brasil. Além de Leticia, os atletas brasileiros que também foram convidados para o evento são: Augusto Akio, Virginia Fortes, Gabriel Fortunato, Gui Khury, Tiago Lemos e Isabelly Silva, que disputarão as modalidades de Skate.[foto2]A equipe de transmissão dos canais ESPN contará com Luciano ‘Kdra’ Lancelotti na narração de todos os eventos do X Games 2021. Flávio Ascânio será o comentarista para as competições de Skate, Rui Ogawa para as modalidades de BMX (bicicleta) e Gian Bergamini será o especialista em Moto X Freestyle.Confira a programação dos X Games 2021 na ESPNQuarta, 14 de julho15:00    ESPN: BMX Dirt – Summer XGames 202116:30    ESPN: BMX Dirt Best Trick – Summer XGames 202120:30    ESPN: BMX Park – Summer XGames 202122:00    ESPN 2: Dave Mirra Bmx Park Best Trick – Summer XGames 2021Quinta, 15 de julho13:00    ESPN: Moto X Freestyle – Summer XGames 202114:30    ESPN: Moto X Best Whip – Summer XGames 202118:00    ESPN: Moto X 110 – Summer XGames 202120:30    ESPN 2: Moto X Quarterpipe High Air – Summer XGames 202122:00    ESPN 2: Moto X Best Trick – Summer XGames 2021Sexta, 16 de julho14:00    ESPN: Skateboard Park – Summer XGames 202116:00    ESPN: Skateboard Park – Summer XGames 202119:00    ESPN: Skateboard Vert – Summer XGames 202121:00    ESPN: Skateboard Vert Best Trick – Summer XGames 202100:30    ESPN 2: BMX Street – Summer XGames 2021Sábado, 17 de julho19:00    ESPN: Skateboard Street – Summer XGames 202123:55    ESPN 2: Skateboard Street – Summer XGames 202101:30    ESPN 2: Skateboard Street Best Trick – Summer XGames 2021

Perdeu a transmissão do Bmx Dirt no X-GAMES REVEJA AQUI NO CROSS RACING OVERALL

Bike 14/07/2021
Assista à competição completa e sem spoilers de BMX Dirt do X Games 2021![foto1]

Assista à transmissão ao vivo do BMX Park Best TrickLIVE de Dave Mirra no X Games 2021

Bike 14/07/2021
Como é julgado: 1 bateria de 8 atletas em uma jam session de 20 minutos. Os competidores farão quantas corridas puderem em 20 minutos. Os juízes classificarão os melhores truques durante a competição.[foto1]

COPA DO MUNDO DE DOWNHILL 2021 #2 - CHUVA COMPLICA A VIDA DOS FAVORITOS

Bike 05/07/2021
O clima imprevisível de montanha deu oportunidade para os jovens [foto1]Os Alpes franceses recebem a segunda etapa da Copa do Mundo de MTB Downhill. A cidade escolhida foi Les Gets, uma das locações mais lendárias do circuito. Com uma pista totalmente nova, mantendo as características que tornaram essa montada tão famosa: Off Cambers, terreno bastante natural, altas velocidades e grande trechos de gramado para desafiar o grip e a confiança dos atletas.Downhill - Elite FemininoUma leve chuva deu o tom da prova feminina, com uma pista nova e desafiadora ficando cada vez mais lisa, o desafio das atletas ficou cada vez mais difícil. Tanto que uma das grandes favoritas, Vali Höll caiu novamente perto da chegada em um deja vu da etapa de abertura da Copa do Mundo em Leogang, ao julgar errado o grip na última acabando com suas chances de um bom resultado. [foto2]A Campeã Mundial, Camile Balanche, vem se consolidando no pódium das Copas do Mundo, com mais uma descida consistente em condições lisas que a favorecem, Balanche terminou em terceira. Myriam Nicole, que está em um temporada de retorno depois de acidente ainda na pré temporada de 2019, se consolida novamente com uma das principais favoritas, depois de uma descida em condições bem duras com direito a um pequeno tombo ela ainda fez um tempo excelente fechando na segunda posição.Mas o topo do pódium foi mesmo da Tahnee Seagrave, que fez uma descida impecável em Les Gets, cidade que ela chamava de sua na infância e adolescência. Resultado Downhill - Elite Feminino 1- Tahnee Seagrave - Canyon Collective FMD - 4:10.566 2- Myriam Nicole - Commencal/Muc Off Riding - 4:10.818 3- Camile Balanche - Dorval AM Commencal - 4:15.480 4- Mille Johnset - Continental Atherton- 4:16.102 5- Monika Hrastnik - Dorval AM Commencal - 4:17.097 Confira o resultado completo do Round #2 Downhill Feminino em Les Gets no site da UCIDownhill - Elite Masculino Chuva engrossou faltando cerca de 20 atletas para o final deixando a pista ainda mais lisa, com poças e água já correndo dentro das valas formadas nas curvas recém construídas. Max Hartenstern, que havia feito um boa descida ainda em condições não tão críticas, assumiu o hotseat e lá permaneceu por muito tempo. [foto3] A medida que a chuva piorava e os atletas não conseguiam mais descer no mesmo ritmo, ficou claro que Max havia garantido o seu melhor resultado na carreira. Ele só foi desbancado do hotseat por Baptiste Pierron, que fez um descida muito forte em com a pista ainda não tão deteriorada. Pierron, assumiu riscos no estilo do seu irmão, Amaury (que não correu essa semana porque está se recuperando de um acidente terrível no último sábado na Copa Francesa de Dh).Baptiste por sua vez foi desbancado por outro atleta que também anda de Commencal: Thibaun Daprela. Daprela que na última semana foi para no hospital após um tombo na mesma corrida onde Amaury Pierron caiu, já se recuperou e fez uma volta excepcional e garantiu a vitória.Grandes nomes como Aaron Gwin, Brook MacDonald e Loic Bruni tiveram um dia bem difícil na pista molhada e extremamente lisa, ficando em resultados bem distantes do que esperavam, terminando em 36°, 39° e 50°. Reece Wilson parece que está sentindo o peso da camisa de Campeão Mundial, após uma descida incrível debaixo de chuva forte em um pista bastante deteriorada, ele acabou tomando um tombo histórico na último salto do percurso após entrar torto e ser arremessado pela sua bike.Greg Minnaar usou de toda sua experiência, desceu limpo e constante e garantiu um respeitável 7° lugar para quem desceu com tante chuva. Outro que desceu limpo foi Loris Vergier, se manteve no controle em uma descida conservadora e limpa, mas pagou o preço, ficando apenas em 25°.Reveja as melhores descidas no vídeo:Resultado Downhill - Elite Masculino 1- Thibaut Daprela - Commencal/Muc Off Riding - 3:33.424 2- Max Harstenstern - Cube Factory Racing - 3:35.840 3- Baptiste Pierron - Dorval AM Commencal - 3:35.944 4- Connor Fearon - - 3:36.014 5- Mark Wallace - Canyon Collective Factory Team - 3:36.205 Confira o resultado completo do Round #2 Downhill Masculino em Les Gets no site da UCI

AO VIVO: Crankworx deuter Downhill Innsbruck

Bike 20/06/2021
Em 2021, o Crankworx Innsbruck comemora cinco anos como parte do Crankworx World Tour. São cinco anos compartilhando a magia das montanhas tirolesas com o mundo. Cinco anos hospedando momentos inspiradores no esporte. Cinco anos ajudando a fortalecer uma crescente comunidade local de mountain bike. E cinco anos atiçando o fogo na próxima geração de jovens imparáveis [foto1]

COPA DO MUNDO DE DOWNHILL 2021 ROUND #1 - TROY BROSNAN E CAMILA BALANCHE TRIUNFAM

Bike 13/06/2021
Em prova dura, com condições mudando e muitas valas a precisão falou mais alto [foto1]A lista de Leogang tem se tornado um dos pontos fortes do calendários, várias vezes sendo chamada de muito fácil ou muito “Bikepark”, desde o ano passado a pista se tornou mais natural e dura, principalmente na chuva como vimos no Campeonato Mundial 2020 de MTB Downhill. Esse ano as mesmas condições se repetiram durante os treinos, mas o sol deu as caras para as finais, secando a parte superior e tornando a lama da temida seção das árvores em uma mata chefia de barro grudento e valas profundas. Um desafio extra que fez várias vítimas. A pista é dividida em quatro partes majoritárias, o topo natural em pasto aberto, com off cambeis e um treco do tocos com raízes de assustar; a seção de alta velocidade e grandes saltos conhecida como highway; o trecho da mata que é extremamente inclinado, de solo frágil e inúmeras raízes e o trecho final, todo cascalhado com grandes saltos para o público. [foto2]Downhill - Elite FemininoPara a corrida da elite feminina a pista já apresentava pontos mais secos, com até certos pontos de poeira, mas a seção da mata ainda apresentava raízes molhadas, piso com barro grudento e temidas valas. Essas valas fizeram vários vítimas durante a prova, incluíndo grandes nomes como Mirian Nicole, ou mesmo Tahnee Seagreva que lutou para conseguir fluir nesse seção e ainda garantiu o quinto lugar no podium. Cabirou e Hrastnik também sofreram na mata, ambas vinham com bons tempos na parte superior da pista, mas não conseguiram manter a boa condição até o final, fechando na terceira e segunda colocações respectivamente.A grande favorita, Vali Holl, que também havia conseguido o melhor tempo no qualify, acabou vendo suas esperanças de uma vitória expressiva com um tombo na penúltima última curva da pista. Uma pequena escorregada da roda dianteira viu a sua vantagem de maus de 3 segundos se tornar em pouco mais de 1 segundo de desvantagem para a atual Campeã Mundial, nada mal para sua primeira participação na Copa do Mundo como Elite.Camile Balanche conquistou o título de Campeã Mundial nessa mesma pista em 2020 em uma das corridas mais difíceis da história. A chuva, lama, valas e as inúmeras raízes foram um grande desafio ano passado e igualmente nesse ano. A francesa fez uma volta limpa, passando toda a mata sem ao menos desclipar os pés dos pedais e esse comprometimento se pagou com uma bela vitória. Resultado Downhill - Elite Feminino 1- Camille Balanche - Dorval AM Commencal - 4:07.850 2- Vali Holl - Rockshox Trek Race Team - 4:09.262 3- Monika Hrastnik - Dorval AM Commencal - 4:09.321 4- Marine Cabirou - Scott Downhill Factory - 4:13.728 5- Tahnee Seagrave - Canyon Collective FMD - 4:16.530 Downhill - Elite MasculinoGrandes nomes não resistiram ao trecho da floresta, Aaron Gwin foi um deles, com uma performance notável no topo e uma com sua bike visivelmente mais rápida lhe conferindo uma crescente vantagem no trecho da highway , o americano não conseguiu manter a tradição de excelentes performances na pista de Leogang, terminando a prova apenas em vigésimo segundo.Nomes como Loic Bruni, Greg Minnaar, Gee Atherton entre outros tiverem o mesmo destino, andando bem no topo e se atrapalhando na mata. Já Joris Vergier vinha muito forte na largada, mas na seção dos tocos ele teve um pneu furado em sua Trek Session, ainda vai levar certo tempo a ele se acostumar com o equipamento novo, visto que mudou tudo, pneus, bike, transmissão, freios, suspensões e até o fornecedor der seu uniforme com a sua mudança de equipe saindo da Santa Cruz para a Trek. Um nome que todos tinham grandes expectativas era Brook Macdonald, após seu grave lesão na coluna no mundial de 2019 ele volta com a mesma postura de ataque na pista, mas teve certo azar, perdendo a frente em um tombo bobo na penúltima curva da pista austríaca, no mesmo lugar de Vali Holl. Benoit Coulanges foi um dos últimos a descer, depois de um qualify fortíssimo, fez uma descida limpa, mas faltou um pouco de agressividade na mata e de controle na highway para fazer um tempo ainda melhor, assim fechando o dia em quinto. Recce Wilson, o atual campeão mundial fez uma descida muito forte, composta e no controle, fazendo um topo até um pouco conservador e dominando a temida seção das árvores com mestria, conquistando a segunda melhor parcial nesse seção e garantindo seu quarto lugar do podium. [foto3] Amaury Pierron fez uma descida fantástica, andando muito forte em todas as seções e assumindo riscos, como entrar saltando nas raízes da seção da mata. O risco valeu a pena e ele ficou no Hot Seat por muito tempo, até ser desbancado pelo seu companheiro de equipe, Thibault Daprela. Daprela foi incrivelmente agressivo em toda a sua descida Sendo um dos discípulos do lendário Nicolas Vouilloz, não poupou nada e usou cada centímetro da pista ao seu favor fazendo uma estonteante prova que levou o público a loucura e ele ao segundo lugar do dia. Para fechar, o melhor tempo no qualify de ontem, Troy Brosnan. Conhecido como “O Senhor Consistência” por sua enorme lista de podiuns, principalmente em segundo lugar, ele enfim desencantou e consegui uma vitória, fato que ele não consumava desde 2017. Sua descida foi incrivelmente limpa e controlada. Ele até chegou a perder cerca de 1 segundo no final do trecho da highway visto seu peso pena de meros 65 kg, mas quando entrou na mata o pouco peso o ajudou a fluir como ninguém nessa seção e abrir vantagem para Daprela. O pequeno Troy cruzou a linha e encontro seus concorrentes e o público em festa com sua vitória. A equipe Canyon Collective invadiu a pista e a festa tomou conta. Resultado Downhill - Elite Masculino 1- Troy Brosnan - Canyon Collective factory Team - 3:26.019 2- Thibault Daprela - Commencal/Muc Off - 3:27.254 3- Amaury Pierron - Commencal/Muc Off - 3:27.497 4- Recce Wilson - Trek Factory Team - 3:27.917 5- Benoit Coulanges - Dorval AM Commencal - 3:28.253 Confira o resultado completo no site da UCI. No domingo tem mais Copa do Mundo de MTB aqui no Pedal.com.br, acompanhem a cobertura da prova de Cross Country Olímpico.

CALOI ELITE CARBON FS - FULL SUSPENSION É APRESENTADA OFICIALMENTE

Bike 10/06/2021
Como já tínhamos antecipado aqui no Pedal, a equipe Caloi já tinha aparecido com protótipo de quadro full suspension. Agora a marca anuncia a bike completa que será vendida ao público. Confira abaixo. [foto1] Relase de Imprensa São Paulo, 10 de junho de 2021 – Inovar para surpreender nas pistas, superar desafios e entregar qualidade a mais ciclistas. A Caloi pensou em cada detalhe na concepção da Caloi Elite Carbon FS, nova máquina de cross country da marca, já à venda nos principais bike shops do País. O modelo se destaca pelo quadro de carbono full suspension – testado e utilizado pela equipe Caloi Henrique Avancini Racing – superleve, rígido e construído nos princípios de geometria “Horst Link” –, também conhecida como “4bar”. Esse tipo de amortecimento fornece mais controle e firmeza na pedalada, proporcionando maior sensibilidade e estabilidade ao ciclista. Toda a geometria do quadro foi desenhada pensando em maximizar a responsividade nas subidas e nas descidas, bem como na realização de curvas e saltos em alta velocidade. A Caloi Elite Carbon FS tem Stack e Reach mais curtos seguindo a tendência global e as necessidades de quem pedala no terreno acidentado do Brasil. Os Chainstays também estão mais curtos, o que aumenta a rigidez e permite maior transferência de potência aos pedais, facilitando a superação de obstáculos tanto nas subidas quanto nas descidas. A caixa de direção é outro diferencial do produto. Ela é tapered (cônica) e tem movimento de direção integrado, o que proporciona maior durabilidade, estabilidade e precisão nas curvas. “A Caloi Elite Carbon FS é com certeza uma das bicicletas mais agressivas já concebidas pela Caloi. Além dos detalhes das ligas de carbono e da geometria para a construção do quadro, cada equipamento que acoplamos a ela contribui para um mesmo objetivo: criar uma bicicleta rápida, estável e segura para que o ciclista se aventure em qualquer que seja o terreno da trilha escolhida”, explica Marcos Ribeiro, gerente de produtos da Caloi. A Caloi Elite Carbon FS é equipada com componentes de qualidade para o ciclista de alta performance. Destaque para o grupo Shimano SLX de 12 velocidades, que garante trocas de marcha mais precisas, para o cockpit FSA, marca referência mundial em componentes, e para o canote retrátil FSA Flowtron, que proporciona um pedal muito mais divertido e versátil ao ciclista. Outro diferencial está na suspensão RockShox Reba 100mm e nos pneus Schwalbe Racing Ray e Racing Ralph. A Caloi Elite Carbon FS tem quadro compatível com pneus de até 2.4 polegadas, o que possibilita a utilização de menor pressão nos pneus para maior aderência. “Eu me adaptei rapidamente a essa nova bike full suspension da Caloi. No momento que ela fica rígida, ela responde muito bem, e quando é preciso que ela amorteça melhor, ela também entrega. A geometria está impressionante, com muitos ganhos nas subidas e nas descidas. Tem sido muito mais fácil subir partes técnicas e tenho feito curvas de forma mais rápida. É uma bike completa”, diz Marcela Lima, atleta da equipe Caloi Henrique Avancini Racing e que é a atual campeã brasileira da categoria sub-23.E o discurso da ciclista é encorpado por Ulan Galinski, outro atleta da equipe Caloi Henrique Avancini Racing que se destacou no cenário do mountain bike ano passado. Ele ficou em 14º lugar no Mundial Sub-23 de Cross Country. “A nova bike full suspension da Caloi está bem firme, não perdeu em performance para o modelo hardtail. Pelo contrário: consegui bater alguns dos meus tempos com ela. É mais uma mountain bike da Caloi que chega como opção para os ciclistas que querem superar seus limites e novos desafios”, completa Ulan.FICHA TÉCNICA - Caloi Elite Carbon FS Quadro: Quadro de carbono importado, suporte para freio a disco post mount, thru axel 148mm/boost e cabeçote tapered Suspensão: RockShox Reba 100mm Amortecedor traseiro: Rock Shox Monarch - RL com 100mm de curso Relação 1X12: Câmbio traseiro: Shimano SLX M7100 Cassete: Shimano SLX M7100 12v – 10-51D Pedivela: Shimano SLX M7100 – 170mm (P) e 175mm (M, G) – 32D Trocadores: Shimano SLX M7100 Canote: FSA Flowtron retrátil – 31.6 x 350mm - 125mm de curso – acionamento no guidão Guidão: FSA Comet 31.8X740MM - Flat Bar Suporte do guidão: FSA Drop – 70mm – 20° negativos Cubos: Shimano - MT410-B Boost Freios: Shimano - M4100 - Rotores de 180mm (D) e 160mm (T) Pneus: Schwalbe Racing Ray e Racing Ralph – 29x2,25 Aros: Stan's NoTubes ARCH R29 - 25C - 32 Furos Manoplas: Velo (Espuma de alta densidade) com Clamp Raios: Inox 14G Double butted Movimento Central: FSA Press Fit Selim: Fabric Scoop Shallow Corrente: Shimano Deore - M6100 Movimento de direção: FSA 1.1/8X1.5 Tapered Preço sugerido: R$ 23.299,99

GIUGIU MORGEN SUPERA PROBLEMAS E CONQUISTA VITÓRIA EM NOVA IGUAÇU (RJ)

Bike 31/03/2021
Circuito Tchotchomere viu a jovem ciclista se recupera de problema mecânico para subir no lugar mais alto do pódio em sua primeira etapaUma semana depois de conquistar a vitória na Maratona Grangiro MTB, a petropolitana Giuliana Morgen mais uma vez mostrou que, apesar do pequeno número de competições, sua preparação em 2021 segue com força total. No último domingo, dia 22 de março, a jovem atleta da Júnior venceu a primeira etapa do Circuito Tchotchomere de MTB, competição de Maratona (XCM) realizada em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro.  [foto1]“Para uma atleta de alto rendimento, as competições são tão importantes quanto os treinos”, explicou Giugiu. “Para manter o ritmo de prova, entrei em contato com a organização e resolvi participar. A competição foi muito legal e fiquei bastante satisfeita com os protocolos de segurança contra a Covid. No fim, foi um dia para treinar as pernas e a cabeça”, complementou. Treino físico e mental A primeira etapa do Circuito Tchotchomere foi realizada debaixo de muito sol, em um trajeto que totalizou 33 km, em duas voltas de 16.5 Km. No percurso plano e de alta velocidade, a atleta acabou sofrendo problemas mecânicos. Porém, mesmo tendo que parar algumas vezes, ela ainda foi a mais rápida do dia, terminando a competição com o tempo de 1:32:29 - cerca de 4 minutos mais veloz do que a segunda colocada.  “A palavra do dia foi persistência!" As mulheres largaram por último e, depois da largada, fui acelerando e buscando os competidores que estavam na frente. Na segunda volta tive um problema na bike que me obrigou a parar algumas vezes, mas mesmo assim consegui manter a tranquilidade para vencer”, explicou Giugiu. “Dias assim são bons porque, além do treino em ritmo de competição, a dificuldade adicional ajuda a manter a garra e a resiliência, e isso também é muito importante. No mundial do ano passado em Leogang, por exemplo, a lama foi uma grande dificuldade, e a resiliência ajudou demais”, completou. Foco no mundial e esperança de fronteiras abertas Assim como aconteceu no ano passado, o principal objetivo de Giugiu para esta temporada é o Campeonato Mundial de MTB Cross-Country Olímpico (XCO), competição que segue confirmada para Agosto, em Val di Sole, na Itália.   Para isso, a atleta pretende seguir seu planejamento original que, desde o ano passado, aposta em participar de competições da Copa do Mundo de MTB (UCI Junior Series), para entrar no ritmo das atletas da Europa - para isso, as fronteiras precisam ser abertas para atletas brasileiros.  “Estou esperando ansiosamente para ver se seremos liberados para competir lá fora. Eu quero correr algumas etapas da Copa do Mundo”, finalizou Giugiu.

CIRCUITO GRANGIRO 2021 #1 - BÚZIOS - AVANCINI E GIULIANA MORGEN VENCEM

Bike 16/03/2021
Evento aconteceu neste domingo, em Búzios, seguindo todos os protocolos sanitários vigentes [foto1]O Circuito Grangiro fez a sua estreia neste domingo, dia 14/03, em Búzios com uma prova de mountain bike. Promovido pela Effect Sport e com patrocínio da Enel Distribuição Rio, via lei de incentivo do governo do estado, e da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro, a disputa seguiu todos os protocolos sanitários vigentes. [foto2]Com atletas de diferentes estados, os participantes competiram em dois percursos, o “Esporte”, com 40 km e o percurso “Pro”, com 60km e trechos mais técnicos, ambos com a chancela da equipe Caloi Henrique Avancini Racing, responsável por assinar a direção técnica da prova. O grande destaque desta etapa foi a presença de Henrique Avancini, atual campeão mundial da modalidade, que garantiu o lugar mais alto do pódio na categoria “Pro”. “O Circuito está aprovado, gostei bastante do percurso e da distribuição dos trechos. O começo foi duro, com algumas subidas curtas e íngremes. Depois tivemos uma parte que foi a mais divertida, sem dúvida nenhuma. Passamos pela praia do Peró, que foi uma sensação bem legal, um trecho mais veloz e o final, talvez a parte mais dura da prova. Deu para explorar quase todas as características do mountain bike em 60 km”, explica Henrique Avancini. Sobre as dificuldades da prova, ele destaca uma em especial. “O calor foi um dos grandes desafios da prova, estou agradecido que largamos às 7h”, completa Avancini. Já na categoria “Esporte”, Hugo Amaral foi o primeiro colocado após completar os 40km. Aos 34 anos, o atleta elogiou o trajeto e falou sobre os principais desafios da etapa. “Mesmo o trecho sendo mais curto, passamos por vários trechos muito legais, enfrentamos obstáculos desafiadores, single track na mata Atlântica e conseguimos ver a praia. O principal desafio foi acompanhar o pessoal, o nível estava bem alto e me desgastei um pouco para chegar junto do pelotão principal, mas consegui”, afirma Hugo. Já entre as mulheres, Giuliana Morgen foi a vencedora na categoria “Pro” e terminou os 60km em 2h24m05. “Foi um percurso muito legal e bem bolado. O trajeto tinha poucas subidas, mas foi uma prova rápida e divertida. Para mim, o maior desafio foi o vento, que em algumas partes estava contra e eu não estou tão acostumada com essa característica, mas eu curti bastante. Além de poder competir em uma prova desse nível, fico muito feliz em ganhar uma prova em Búzios, uma cidade tão especial para mim.”, completa Giuliana. Paola Chermon foi a campeã feminina na categoria “Esporte”. Após 40km, ela comemorou a vitória e ainda incentivou os ciclistas a competirem no circuito. “O trajeto foi muito maravilhoso, foi uma prova técnica, mas que dá para qualquer pessoa fazer, foi muito divertido.  [foto3] Tivemos trechos de asfalto, areia, estrada, single track tudo diante de uma paisagem linda dentro de Búzios. É muito rejuvenescedor fazer uma prova dessa, conseguir completar e ainda garantir lugar no pódio”, explica a campeã. Além da prova, o Circuito Grangiro também desenvolve ações sociais nos locais em que organiza as competições. Comprometido com os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU, o evento plantou 500 mudas de árvores em Búzios, com o apoio da Prima Ambiental, contribuindo para o reflorestamento da Mata Atlântica, o bioma mais ameaçado do Brasil. Além da preocupação com o meio ambiente, o Circuito também abraça a causa da mobilidade e geração de emprego e renda. Uma parceria com a ONG Transporte Ativo ofereceu oficinas para jovens e adultos de Búzios que estiverem interessados em aprender mais sobre o ciclismo como negócio. Ao todo, 12 participantes estiveram nas oficinas que aconteceram sexta (12/03) e sábado (13/03) e foram ministradas por Eduardo Bernhardt e Fabio Nazareth, especialistas em mecânica “on the go“, ou seja, solucionar problemas no caminho. Os dois profissionais têm experiência de anos viajando de bicicleta de forma autônoma fazendo a mecânica de suas bikes e de terceiros. O objetivo é fomentar o empreendedorismo no segmento do ciclismo através da preparação de novos mecânicos de bike. Classificação FinalPercurso “Esporte” [foto4]Masculino rcuito Grangiro 2021 1 – Hugo Amaral – 1h24m39s 2- Marcello Goyanes – 1h30m30s 3 – Luiz Gustavo Maciel – 1h31m57s 4 – Bernardo Magalhães – 1h33m05s 5 – Alexandre Augusto Geraldo – 1h33m56s  [foto5] Feminino 1 – Paola Chermon – 1h46m05s 2 – Alini Portela – 1h47m27s 3 – Bruna Ramos – 1h53m08s 4 – Mikaela Nunes – 1h56m55s 5 – Monica Bernardes – 2h01m41s Percurso “Pro”Masculino[foto6]1 – Henrique Avancini – 1h58m47s 2 – Guilherme Muller – 1h58m48s 3 – Edson Junior -2h0m44s 4 – Halysson Ferreira – 2h3m51s 5 – Wolfgang Olsen – 2h06m41s  [foto7] Feminino 1 – Giuliana Morgen – 2h24m05s 2 – Franciele Batista – 2h33m10s 3 – Marcela Matos – 2h54m13s 4 – Ana Paula – 2h58m12s 5 – Ana Claudia de Melo – 2h59m20s

COPA INTERNACIONAL DE MTB 2021 #1 - ADIADA CLÁSSICA ETAPA DE ARAXÁ

Bike 13/03/2021
Com fechamento temporário do Tauá Grande Hotel, CIMTB Michelin adia etapa de AraxáDevido ao agravamento da pandemia em Minas Gerais, o Tauá Grande Hotel Thermas de Araxá, onde seria realizada a primeira etapa da temporada 2021 da Copa Internacional Michelin de Mountain Bike (CIMTB Michelin), fechará temporariamente as portas, pelo menos até julho. Sem o apoio proporcionado pelo hotel, a organização da CIMTB Michelin decidiu adiar para o segundo semestre a etapa de Araxá para realizar um evento com mais segurança e qualidade. [foto1]Araxá foi uma das 27 cidades do Triângulo Mineiro incluídas na onda roxa, do programa Minas Consciente do Governo Estadual, que determina uma série de medidas restritivas contra a pandemia. Entre as ações estão o toque de recolher, fechamento dos serviços não essenciais, a proibição de eventos públicos, entre outras. A decisão passou a valer neste domingo (7) e durará 15 dias, quando o governo reavaliará a situação de cada município.“Devido às restrições impostas pela onda roxa em nossa região teremos que nos reprogramar. Conto com a CIMTB Michelin para que, no segundo semestre, com tudo resolvido, a gente possa fazer um evento maravilhoso, na grandeza que ele é. Será um grande prazer, como sempre, receber atletas e equipes do mundo todo em nossa cidade. Agora é hora de todos se cuidarem”, disse Juliano Cesar da Silva, Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo de Araxá.Por conta da onda roxa e a situação da região, a Rede Tauá de Hotéis preferiu paralisar as atividades em Araxá a perder a qualidade no serviço. “Com a pandemia, a gente não consegue atender o cliente da forma que a gente gostaria. Além disso, a região acaba de entrar na onda roxa, e a cidade está perdendo muita circulação. Tudo isso vai minando as condições de atendimento mínimas ”, explica Lizete Ribeiro, diretora comercial da Rede Tauá de Hotéis.“É uma responsabilidade muito grande para nós recebermos eventos como a CIMTB Michelin. É uma decisão muito triste, mas que estabelecimentos do mundo inteiro estão tendo que tomar. Mas, no segundo semestre estamos nos programando para fazer uma grande etapa. Inclusive, vamos garantir as reservas de todos que já estavam com quartos reservados para abril, no segundo semestre”, completa Ribeiro.“Estávamos confiantes na realização do evento, mas com o agravamento da pandemia na região e sem a estrutura do Tauá Grande Hotel com hospedagem, salões, restaurantes, bares, termas, nós perdemos o maior diferencial de Araxá que é a união do ambiente espetacular do Tauá Grande Hotel com uma pista reconhecida nacional e internacionalmente”, lamenta Rogério Bernardes, organizador do evento.A CIMTB Michelin, juntamente com a Prefeitura Municipal de Araxá e Tauá Grande Hotel definirão, em breve, uma nova data para as provas no local. A decisão será tomada depois de analisar criteriosamente os calendários de competições nacionais e internacionais além dos eventos da cidade. “A etapa de Araxá é muito relevante no cenário brasileiro e mundial do mountain bike. São 18 anos com enorme volume de pontos válidos pelos rankings oficiais, que são muito importantes para atletas de todo o mundo e a visão global é fundamental para atendê-los e, também, ao mercado brasileiro”, avalia Rogério.

COPA AMÉRICA DE DOWNHILL 4X 2021 - GABRIEL GIOVANNINI E JULIA ALVES VENCEM

Bike 27/02/2021
Competição aconteceu no Ski Mountain Park, em São RoqueSão Roque (SP) – O paulista Gabriel Giovannini e a paranaense Julia Alves confirmaram o favoritismo e brilharam mais uma vez na Copa América de Downhill 4X, realizada na manhã deste domingo no Ski Mountain Park, em São Roque (SP). Gabriel garantiu o tricampeonato ao completar a bateria final com o tempo de 47seg208, seis décimos mais rápido que o segundo colocado, Renato Rezende, 47seg812. Já Julia teve mais folga, pois venceu com o tempo de 55seg667, seguida pela catarinense Bruna Ulrich, 1min00seg309.[foto1]Competição de alta performance, somente para atletas convidados e sem a presença de público, a Copa América reuniu o que há de melhor na modalidade no Brasil, além de destaques do Chile e Equador. Muita técnica e garra motivaram os participantes ao longo da radical descida de 600 metros, com 12 curvas e 20 obstáculos montada para o evento.No masculino, a briga foi intensa, mas Gabriel Giovannini mostrou que não estava querendo deixar escapar o tricampeonato em São Roque. O piloto superou seus adversários com um grande desempenho e, na final, diante de fortes concorrentes, conseguiu mais um título. O vencedor, inclusive, destacou a qualidade dos adversários."Essa conquista foi bem dura, pois estava ao lado de três feras do BMX e que largam demais. Felizmente, também tenho uma base boa do BMX. Não sou profissional como eles, mas treinei bastante, especialmente sprint. É uma sensação muito gratificante, com todo o esforço e dedicação sendo recompensados e se transformarem em vitória. Tudo isso é muito engraçado, uma vez que antigamente eu estaria feliz por estar na final. Hoje, é só a vitória que importa", afirmou Gabriel.Júlia, cinco vezes no topo[foto2]Julia garantiu seu quinto título com uma atuação perfeita na bateria final. Ela foi a única a andar abaixo de 1 min, exatos 55seg667, e chegou com vantagem de mais de quatro segundo para a vice-campeã, a catarinense Bruna Ulrich, de 30 anos, que marcou 1min00seg309. Mariana Lopes (BRA/RJ) em terceiro, com 1min07seg374, e Ana Maria Xavier dos Santos (BRA/SC), em quarto, com 1min08seg361, completaram o pódio feminino.A vencedora não escondeu a ansiedade pelo retorno às competições. "Não posso negar que fiquei bem ansiosa com a volta, pois foi muito tempo sem competir, mas deu tudo. Estava preocupada com minha bike dar problema no meio da pista e isso aconteceu (escapou a corrente), mas consegui manter a velocidade e conseguir mais um titulo aqui, o que eu considero muito importante", destacou a piloto, de 24 anos.Resultados (bateria final)Masculino  [foto3]1 - Gabriel Giovannini (BRA/SP), 47seg2082 - Renato Rezende (BRA/MG), 47seg8123 - Kaique Milani (BRA/MG), 48seg9234 - Guilherme Ribeiro (BRA/SC), 50seg598Feminino[foto4]1 - Julia Alves dos Santos (BRA/PR), 55seg6672 - Bruna Ulrich (BRA/SC), 1min00seg3093 - Mariana Lopes (BRA/RJ), 1min07seg3744 - Ana Maria Xavier dos Santos (BRA/SC), 1min08seg361

Neste ano o maior downhill urbano do mundo o RED BULL MONSERRATE ganha tradução para o português

Bike 06/02/2021
O Red Bull Monserrate Cerro Abajo, maior evento de downhill urbano realizado em escadarias do mundo, irá reunir para a edição de 2021 grandes nomes do ciclismo mundial. Todas as emoções despertadas pelo evento poderão ser acompanhadas pelo público brasileiro por meio da transmissão ao vivo no canal da Red Bull TV e você pode acessar pelo link https://win.gs/3pKO6ed. [foto1]A competição acontece neste sábado (6), a partir das 12h (horário de Brasília) e a cobertura será realizada por Luciano KDra Lancellotti e Eduardo Arruda.O evento acontecerá na famosa montanha Monserrate, localizada na cidade de Bogotá, capital da Colômbia. Nesta temporada, o circuito oferece o desafio para os competidores de enfrentar 27 obstáculos, entre curvas, drops e rampas em paredes. Nos 561 metros de diferença de altura entre a largada até a chegada, a escadaria totaliza mais de mil degraus. Vence o competidor que completar todo o percurso no menor tempo. No ano passado, o atleta local Marcelo Gutiérrez levou o título com o tempo recorde de 4min e 31s. Outro nome de destaque na última edição foi o do tcheco Tomás Slavik que se tornou o primeiro piloto a vencer os dois eventos de DHU mais insanos da temporada: Red Bull Monserrate Cerro Abajo e o Red Bull Valparaíso Cerro Bajo (Chile).[foto2]Entre os nomes confirmados dos atletas que irão em busca do tão sonhado título estão: Pedro Burns e Felipe Agurto, chilenos; Adrien Loron, francês; Ben Moore, britânico; Mario Jarrin, equatoriano e Juan David Villada, Nicolás Osorio, David Jaramillo e Sebastián Ardila, todos colombianos. Todos os atletas têm cumprido os protocolos sanitários de segurança ao longo dos últimos dias, visando a participação no Red Bull Monserrate Cerro Abajo. O evento é responsável peala abertura da temporada de transmissões ao vivo da Red Bull TV para os fãs de bicicleta.

Francês Adrien Loron vence a edição 2021 do RED BULL MONSERRATE CERRO ABAJO

Bike 06/02/2021
A Red Bull Monserrate Cerro Abajo, maior corrida de downhill urbano do mundo edição 2021, foi realizada com sucesso na famosa Monserrate, em Bogotá (Colômbia). Embora o local onde o evento aconteceu receba muitas peregrinações, foram feitas modificações de inclinações, saltos e curvas e transformada mais uma vez em uma das pistas de downhill mais desafiadoras e rigorosas do mundo.[foto1] A descida emocionante de 2,4km reuniu atletas de 8 países diferentes e o campeão bateu o tempo do campeão da última edição em mais de 10 segundos. [foto2]Nesta edição a competição recebeu os 21 melhores pilotos da modalidade. O vencedor da competição foi o francês Adrien Loron. O francês fez uma queda bem técnica, mas muito agressiva cravando o tempo de 4:31,485. Seu tempo o deixou na vantagem de +0,800 milésimos de diferença do colombiano Jhonny Betancurth, segundo colocado do evento.RESULTADO1°Adrien Loron-França.2°Jhonny Betancurth-Colombia.3°Rafaél Gutiérrez-Colombia.4°Camilo Sanches-Colombia.5°Steven Cebollos-Colombia.Texto: @lu_condado

BRASIL SEDIARÁ COPA DO MUNDO DE MOUNTAIN BIKE XC EM 2022

Bike 05/02/2021
Equipe da CIMTB Michelin será a responsável por organizar o evento em Petrópolis, cidade natal do campeão mundial de XCM, Henrique AvanciniDepois de rumores das redes sociais ao longo do dia, agora é oficial! Em release de imprensa divulgado agora a pouco, foi anunciada a realização de mais uma Copa do Mundo de Mountain Bike no Brasil!A CIMTB Michelin em parceria com a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) organizará a segunda etapa da Copa do Mundo de Mountain Bike, entre 8 e 10 de abril de 2022, em Petrópolis, Rio de Janeiro. O evento que acontece em vários continentes, vem ao Brasil para expandir o esporte e incentivar a prática do ciclismo em diferentes regiões do mundo.[foto2]As provas oficiais, de XCC (short Track) e XCO (Cross Country Olímpico), ocorrerão na cidade natal do primeiro brasileiro a vencer uma etapa da Copa do Mundo, Henrique Avancini, que também é um dos responsáveis pela conquista. "Desde 2017 ou 2018 já existia um desejo muito grande da UCI, da Red Bull e dos nossos parceiros de trazer o evento para o Brasil. Eu participei muito no sentido de buscar um organizador que atendesse às exigências da UCI. Eles requisitaram que, se fosse vir para o Brasil, teria que ser na minha cidade. O Rogério [Bernardes] topou o desafio, o que gabaritou ainda mais a confiança deles", conta Avancini.A CIMTB Michelin já organizou mais de 70 eventos internacionais da UCI em sua história e uma etapa da Copa do Mundo de Mountain Bike Eliminator (XCE) em Congonhas, em 2018. As etapas da Copa do Mundo de Mountain Bike são competições muito disputadas por organizadores no mundo inteiro. De acordo com a União Ciclística Internacional (UCI), órgão máximo do esporte, os maiores eventos da UCI chegam a gerar mais de 200 milhões para os negócios locais. [foto1]"Essa conquista representa muito não só para nós e para o Henrique, mas para o ciclismo brasileiro, que será mais uma vez o centro do mapa mundial do esporte em 2022. Vamos fazer o melhor trabalho possível para que a Copa do Mundo não saia nunca mais do Brasil. E tenho certeza que a torcida brasileira vai eletrizar e fazer história", conta Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Michelin.O mercado brasileiro de ciclismo vem crescendo de forma estável já há alguns anos. Segundo a Abraciclo, o crescimento da produção no Brasil em 2020 foi de 12,8%, com um total de 750 mil bicicletas fabricadas. Um dos motivos desse aumento é a bike entrando no dia a dia do brasileiro durante a pandemia.“É uma conquista coletiva. Tanto minha, que venho crescendo como atleta, para a CIMTB Michelin como organizadora e para todo o contexto do ciclismo no Brasil, que tem se tornado uma potência mundial do esporte”, conta Avancini.A data já está confirmada e oficializada também no site da União Ciclística Internacional.

CANYON TORQUE:ON - E-MTB COM 180MM DE CURSO CHEGA COM FOCO DA DIVERSÃO

Bike 03/02/2021
Versão elétrica da endureira vem com ângulo de direção de 63.5 e rodas 27.5A marca alemã Canyon anunciou a versão elétrica da sua já consagrada Canyon Torque. Diferente da maioria das bikes elétricas de enduro, a marca está anunciando a bike para uso em bikepark e freeride, com intenção de ser uma bike "divertida e manobrável".[foto1]Para alcançar esse objetivo, a Canyon optou por um configuração um pouco diferente das atuais. Ao invés de usar uma bateria de maior capacidade de 630Wh para alimentar o novo motor Shimano EP8, optaram pela de 504Wh, o que traz uma redução de peso próxima de 1kg.Além disso, eles preferiram manter rodas 27.5", assim como na versão tradicional, pelo mesmo motivo - deixar a bike mais divertida.E claro que tudo isso não adiantaria se a geometria não fosse bem pensada. Com 63.5 graus de ângulo de direção, chainstays de 430mm e alcance de 460mm (tamanho médio), a bike realmente promete bastante diversão. O curso traseiro é de 175mm.[foto2]Para quem está preocupado com a baixa capacidade da bateria. A Canyon também está oferecendo a possibilidade comprar uma bateria adicional, por um preço de 500 Euro, ao adquirir a bike.Por agora, serão oferecida duas versões, ambas em alumínio: A Toque:ON 8 custando 4,499 Euros e a Torque:ON 9 a 5,799 Euros.Mais informações no site da Canyon - https://www.canyon.com/

MUNDIAL DE CYCLO-CROSS 2021 - VAN DER POEL VENCE PELA QUARTA VEZ

Bike 02/02/2021
Neerlandês mais uma vez mostra enorme dominância ao desbancar Wout van Aert[foto1]Na pista, que contou com trechos pesados inclusive de areia fofa de praia, o terceiro posto ficou com Toon Aerts. O quarto posto ficou com o britânico Tom Pidcock.A competição contou com algumas reviravoltas importantes. Isso porque, na segunda volta, van der Poel acabou levando um tombo. Porém, para sua sorte, Wout Van Aert, seu principal adversário, acabou tendo um furo de pneu na terceira volta. Dai pra frente, o van der Poel abriu vantagem para vencer sem olhar para trás."O furo de pneu de Van Aert foi a sorte do meu lado para eu me recuperar, mas naquele momento senti que a prova ainda não estava acabada", disse o vencedor."O percurso mudou e ficou um pouco mais rápido na parte da praia, ai me senti melhor. Fui melhorando e melhorando a cada volta que passava pela areia, então as sensações boas foram crescendo volta depois de volta", complementou.Segundo o atleta, as restrições de público em consequência da pandemia de Covid-19 tiraram um pouco do brilho da vitória, já que a prova aconteceu sem público e sem a presença de amigos e familiares."Foi meio estranho, mas quando coloquei a camisa no pódio, minha mente percebeu que eu era novamente campeão do mundo", finalizou.Resultados1 - Mathieu van der Poel 0:58:572 - Wout van Aert 0:00:373 - Toon Aerts 0:01:244 - Tom Pidcock 0:01:375 - Laurens Sweeck 0:02:056 - Michael Vanthourenhout 0:02:147 - Eli Iserbyt 0:02:188 - Quinten Hermans 0:02:239 - Lars van der Haar 0:02:4110 - Joris Nieuwenhuis 0:03:15


Respiramos duas Rodas

• Copyright (c) 2021 • All rights reserved • Under your spell DP •