Skate


Skate: Rayssa Leal, de 13 anos, fatura bronze no Mundial de Street

Skate 10/06/2021
A skatista maranhense Rayssa Leal, de 13 anos, foi a única brasileira a subir ao pódio do Mundial de Skate Street, neste domingo (6), em Roma (Itália). Com nota13.47, a atleta faturou o bronze. O ouro e a prata ficaram, respectivamente, com as japonesas Aori Nishimura (14.73)  e de Momij Nishiya (14.17). [foto1]“Estou muito feliz porque eu tentei duas manobras, caí, mas consegui voltar e estar no pódio. Fico muito feliz que o nível do skate feminino está aumentando cada vez mais. Isso me motiva em todas as sessões a estar cada dia melhor. Sempre foi um sonho estar nas Olimpíadas e agora eu vou poder realizar ele no próximo mês”, disse a skatista em depoimento à Confederação Brasileira de Skate (CBSK).[foto2]Natural de Imperatriz (MA), a skatista Rayssa Leal representará o Brasil nos Jogos de Tóquio no estilo street, junto com Rayssa Leal, Leticia Bufoni, Kelvin Hoefler, Felipe Gustavo e Giovanni Vianna – Julio Detefon/CBSK/Direitos ReservadosAs finais do Mundial contaram ainda com outros brasileiros, também já assegurados nos Jogos de Tôquio: Pâmela Rosa (quarta colocada, com 13.44) e Letícia Bufoni (quinta, com 13.36).No masculino, Kevin Hoefler, ficou em quinto lugar (33.71). O ouro ficou com o japonês Yuto Horigome (33.75) e a prata com o norte-americano Nyjah Huston (35.75).As finais da competição seguiram o formato olímpico: duas voltas de 45 segundos e cínico tentativas de manobra. A pontuação é somatória das quatro maiores notas.Tóquio 2020O skate estreia como modalidade na Olímpíada em Tóquio 2020. O Brasil será representado por 12 atletas, o total máximo permitido por país.No estilo street, a seleção brasileira contará com  Pâmela Rosa, Rayssa Leal, Leticia Bufoni, Kelvin Hoefler, Felipe Gustavo e Giovanni Vianna.No park, a delegação nacional terá Luiz Francisco, Pedro Barros, Pedro Quintas, Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp.Fonte: Agencia Brasil

Skatista Rony Gomes relembra desafios na carreira e projeta conquista de título no X Games: "É um sonho de criança"

Skate 31/03/2021
Profissional já foi campeão de diversos torneios, mas ainda não levantou a taça de uma das competições mais tradicionais da modalidade [foto1]É muito comum vermos nas ruas crianças se aventurando em cima de um skate e fazendo manobras nos parques e nas praças, mas assim como qualquer outro esporte no Brasil, o skate também tem seus desafios para quem está iniciando.Imaginar uma carreira e viver disso é algo que passa longe da realidade de muitos esportistas do país, que sabem que terão um árduo caminho pela frente se quiserem se tornar referências na modalidade.No entanto, nesses casos o importante é sempre começar. Não importa se seu skate é improvisado e você não tem acesso a uma pista daquelas profissionais, é justamente o contrário, é de muitos lugares assim que saíram os principais nomes do esporte no mundo todo.Sobre isso, o SportBuzz conversou com exclusividade com o skatista profissionalRony Gomes, que relembrou seu início de carreira na pista que ficava perto da Anchieta, as comparações com o astro Bob Burnquist e seus desejos para o futuro. Confira:Tudo começou na rua do bairro residencial que Rony morou quando criança. O skatista contou que como tinha bastante liberdade para brincar fora de casa, ele e os amigos sempre estavam jogando bola, andando de bicicleta e um certo dia um deles apareceu com um skate e foi como amor a primeira manobra."Como a gente era muito novo, aos finais de semana nossos pais levavam a gente para algumas pistas e uma vez a gente conheceu uma pista que era no começo da Anchieta onde tinha bastante rampa e eu acho que aí foi onde eu meio que vi que tinha um caminho a ser seguido que eu podia seguir uma carreira de repente virar uma skatista porque nessa pista à noite andavam alguns skatistas profissionais e o skate de transição, de rampa foi o que mais chamou atenção por a galera poder voar poder enfim sair da rampa e voltar, um negócio que me deixou bem impressionado, então aos poucos eu comecei a focar mais ainda no skate mesmo", disse.Junto com o interesse pelo esporte veio a responsabilidade. Rony sabia que para atingir seu objetivo maior teria que se esforçar e por conta disso passou a ficar horas treinando manobras e novos jeitos de andar de skate na pista."Meu pai começou além de final de semana depois que eu ia pra escola durante a semana, meu pai me levava até a pista, me deixava lá e me buscava à noite, então eu comecei a evoluir cada vez mais e aos poucos conforme você vai frequentando essas pistas, você começa a descobrir campeonatinhos amadores aí começa ir pessoal lá pra tirar foto, começa a filmar aí você começa aparecer na mídia ainda pequeno como um futuro né do esporte", contou.Depois de tanto esforço, o momento da decisão chegou e Rony precisava escolher entre se aventurar no mundo do skate como profissional ou deixar a modalidade apenas como um hobby."Quando chegou a época de optar por ser skatista profissional ou seguir carreira em alguma outra opção, eu já estava formado já tinha é alguns patrocinadores muito bons foi o que me fez seguir carreira aí no esporte", lembrou.Ainda na pista onde tudo começou, Rony contou que passou a ser comparado com um dos maiores skatistas de todos os tempos,BobBurnquist.O jeito como andava e até mesmo o seu corte de cabelo lembravam o craque, mas apesar de se sentir honrado com as comparações, ele sabia que chegaria o momento em que teria que encontrar a sua própria personalidade."Eu acho que na época até me incentivava assim né porque eu ia pra pista pequenininho ‘É o menino que parece o Bob e manda umas manobras e tal’, Então acabava me puxando por causa disso, mas chegou uma fase que eu tive que mostrar realmente quem eu era e a minha personalidade, as minhas manobras então eu acho que conforme eu fui crescendo e conforme eu fui mostrando meu skate, a galera meio que viu que ‘Ah não é mais o Rony que é parecido com o Bob, é o Rony mesmo e ele mostrou para que ele veio e tudo que ele vem fazendo’ então foi bem legal essa fase aí mas, foi muito foi muito legal também essa transição onde eu pude mostrar que eu era de verdade", contou.Em sua carreira até aqui, Rony Gomes já conquistou diversos títulos importantes, sendo campeão mundial em 2009 e brasileiro em 2008. No entanto, apesar de ter a sala de troféus cheia, o skatista ainda tem sonhos para realizar."Ainda não foi campeão de nenhum X Games, é um sonho de criança. Quando eu comecei a andar de skate, que eu tava ali no meu sofá, eu assisti o pessoal competir nos games e achava realmente muito legal então acho que um dos meus sonhos é talvez um dia conquistar uma X Games", revelou.Porém, o desejo de carreira do esportista não fica apenas em cima do skate. Rony contou que pretende investir para levar o skate para outras crianças e mostrar como o esporte pode mudar a vida de alguém.[foto2]"Hoje em dia já estou um pouco mais velho, também já vivi bastante coisas, é tentar levar o skate para outras crianças, tentar mostrar um caminho para essa molecada que está vindo agora entendeu, se você souber fazer as escolhas certas, dá para viver super bem do skate, enfim seguir carreira com isso né então acho que um dos meus sonhos hoje em dia também formar outros atletas", disse.Além de destacar a importância da dedicação, dos patrocínios e do incentivo para que sonhos se tornem realidade, Rony ainda reforçou que antes de tudo isso, é muito importante ser uma pessoa humilde e honesta, caminho seguido por ele e que abriu diversas portas na carreira."Meu pai na época me ensinou muito a ser responsável, humilde, honesto, então quando você for andar de skate tem que ser isso entendeu tem que levar em conta a parceria com os amigos, enfim ajudar o outro, eu acho que você sendo um cara legal, um cara gente fina, você só tende a crescer no esporte só tem de aprender mais manobras só tem de andar em mais lugares, então é difícil falar de mim mesmo, mas pô, eu vou em vários lugares no mundo inteiro, sou super bem recebido pelas pessoas das melhores formas possíveis, então essa é uma dica que eu dou aí pra galera, ser humilde ser responsável e atrás dos seus sem passar por cima de ninguém", finalizou.  

Atletas são reconhecidos e skate vira profissão em semana que a CBSk comemora aniversário de 22 anos

Skate 12/03/2021
Na semana em que completa 22 anos - 6 de março - em prol do skate, a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) celebra a histórica entrada da categoria Atleta de Skate na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).  [foto1]Desde 25 de fevereiro, tornou-se possível o registro em carteira profissional (CTPS - Carteira de Trabalho e Previdência Social) como Atleta de Skate, permitindo o recolhimento de contribuição junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e aposentadoria como skatista. A vitória é fruto de pedido realizado pela CBSk em outubro de 2020 para o Ministério do Trabalho e Emprego."Esse aniversário será com certeza emblemático na história da CBSk. Além de uma conquista para as gerações do presente e do futuro, a entrada dos skatistas no rol de profissões do Brasil é um passo importante para continuarmos quebrando os paradigmas que a sociedade ainda possa ter sobre o skate. Ainda temos o orgulho de celebrar a entrada da modalidade nos Jogos Escolares Brasileiros e a viabilização do projeto Skate Escola, que vai beneficiar quase 4 mil crianças e adolescentes", destaca Eduardo Musa, presidente da CBSk.A conquista dessa nomenclatura e código para os profissionais do skate teve início durante o mês de outubro de 2020, através de requerimentos e esclarecimentos enviados pelo diretor Jurídico da CBSk, Alexandre Costa, ao Ministério do Trabalho."Após a análise das justificativas e dos documentos, o Ministério aprovou o pedido e garantiu mais essa importante e inédita conquista e reconhecimento para o skate brasileiro, que agora vê a possibilidade de ter seus atletas recolhendo as prestações previdenciárias como skatistas e ainda se aposentando com essa profissão anotada em seus holerites", comemora Alexandre Costa.O ano de 2021 será marcado também pela entrada do skate nos Jogos Escolares Brasileiros (JEB’s) - esse ano como exibição e, em 2022, dentro das disputas. Sandro Dias será o embaixador da modalidade no evento que acontecerá no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 29 de outubro e 5 de novembro.Além disso, a partir de março, o projeto Skate Escola vai levar aulas de skate para 3.840 crianças e adolescentes de seis a 17 anos. Idealizado pela CBSk, o projeto foi aprovado e viabilizado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Em um primeiro momento, terá núcleos no Distrito Federal, Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Conheça a marca PROTAGON

Skate 05/02/2021
A PROTAGON foi criada com o propósito de representar aquelas pessoas que estão em busca de seus sonhos. Querendo transmitir a vibe alegre e positiva do estilo de vida brasileiro através da moda, inspirada em positividade e muita atitude. Indicada para quem age como PROTAGONISTA da própria vida. Usar PROTAGON é estar por dentro da moda de quem se coloca como PROTAGONISTA da própria vida. Nós não somos apenas uma marca, somos um estilo de vida. Venha para o nosso mundo! [foto1]na foto @isa_vitta.VISITE O SITE DA MARCA: https://www.useprotagon.com.br/INSTAGRAM: @useprotagon[foto2]Nas fotos a modelo: @isa_vitta Fotos: @caique_augusto22#UseProtagon #SejaProtagonConheça um pouco mais da Protagon em vídeo:PROTAGONMAKING OFF @isa_vitta: 

Pedro Barros, Dora Varella, Rayssa Leal e João Lucas Alves são os campeões do STU National

Skate 01/02/2021
Velocidade: essa foi a principal característica da final masculina de Park do STU National que aconteceu neste domingo (24), no Parque Altair Guidi. Direto de Criciúma, em Santa Catarina, os atletas tomaram conta da pista e não economizaram nas manobras ao longo das três voltas. O dia também foi marcado pelas finais masculina e feminina de Street. O evento que aconteceu seguindo rígido protocolo de segurança sanitária, o STU Covid Free, abriu o calendário e o Ranking Brasileiro de skate no ano de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021. Chancelado pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk), entidade máxima do esporte no Brasil, e pela World Skate (WS), entidade máxima do skate a nível mundial, o STU National também é válido para o ranqueamento dos skatistas brasileiros na segunda janela de pontuação da corrida olímpica.[foto1]Pedro Barros foi o primeiro campeão do dia. O atleta de Florianópolis conquistou o lugar mais alto do pódio na modalidade Park com 86.67 pontos e explicou o que havia pensado para a final."Eu já estava com uma volta planejada na cabeça que ainda não havia conseguido executar, mas sabia que tinha chances de voltar nela e decidi arriscar desde o começo. Foi apostar em tudo ou nada", comentou. Sobre os próximos passos, Pedro continua com os treinos. "Agora é iniciar uma temporada de muito treino, modificar o que eu posso para melhorar em todas as áreas e tentar ir com tudo para a caminhada até Tóquio", explica o skatista que é o atual quarto colocado no ranking mundial. O pódio ainda contou com Augusto Akio em segundo lugar (83.17) e Pedro Quintas em terceiro (80).A disputa pelo título do STU entre os atletas de Street começou com as mulheres correndo na pista. Com manobras ousadas e voltas que chamaram a atenção de quem estava no skatepark, Rayssa Leal foi a grande campeã da modalidade. "Eu tinha comentado com meus pais o que estava pretendendo jogar para essa disputa. Na semifinal eu joguei as manobras que tenho de base e decidi repetir minha linha, já que consegui acertar na etapa anterior", explica Rayssa, atual segunda colocada no ranking pré-olímpico. Isabelly Ávila e Virginia Fortes Águas também subiram ao pódio em segundo e terceiro lugar, respectivamente. Entre os homens da modalidade, a competição foi acirrada e o vencedor foi João Lucas Alves, o "Xuxu", com 30.09 pontos."Não tinha nenhum plano específico, pensei nas minhas manobras de alto nível, comecei a praticar aqui mesmo durante a competição, botei fé e aconteceu. Agora é seguir na corrida olímpica e andar de skate o máximo que eu conseguir", comemora o campeão. O segundo lugar ficou com Eduardo Neves (29.55) e o terceiro com Felipe Gustavo (29.48).A final feminina de Park aconteceu no sábado (23) e teve Dora Varella como campeã. Também subiram ao pódio Erica Leguizamon, em segundo lugar, e Isadora Pacheco, na terceira colocação. O STU National contou com transmissão do STU Channel, SporTV e Globo, no Esporte Espetacular.Homologado pela CBSk (Confederação Brasileira de Skate) e pela World Skate, o STU National é viabilizado pela Prefeitura de Criciúma através da Fundação Municipal de Esportes de Criciúma, com patrocínio da TNT Energy Drink, além da parceria com a New Era, Drop Dead, EOM Brasil (Escuela de Osteopatida de Madrid) e Aktion Paz. O evento é realizado em parceria com o Verão Espetacular, da TV Globo, que conta com os patrocínios da Rexona Clinical, Piracanjuba, Dorflex e Nissan. A idealização e realização são da Rio de Negócios.Para mais informações acesse https://www.skatetotalurbe.com.br/Confira abaixo a classificação final do STU National Resultado Park masculino1 - Pedro Barros 86.67 2 - Augusto Akio 83.17 3 - Pedro Quintas 80.00 4 - Vinicius Barbosa 79.00 5 - João Victor Bito 77.006 - Luigi Cini 75.67 7 - Luiz Francisco 75.33 8 - Murilo Peres 30Resultado Park feminino1 - Dora Varella 63.332 - Erica Leguizamon 55.53 - Isadora Pacheco 52.674 - Raicca Ventura 475 - Camila Borges 45 6 - Victoria Bassi 39.87 - Maitê Demantova 36.338 - Emily Antunes 10Resultado Street masculino1- João Lucas Alves 30.09 2 - Eduardo Neves 29.55 3 - Felipe Gustavo 29.48 4 - Lucas Rabelo 26.48 5 - Gabryel Aguilar 25.96 6 - Ygor Picolino 24.99 7 - Marcelo Batista 23.62 8 - Gabriel Fortunato 17.31Resultado Street feminino1 -Rayssa Leal 20.06 2 - Isabelly Ávila 16.57 3 - Virginia Forte Águas 16.40 4 - Karen Feitosa 14.43 5 - Giovana Dias 14.176 - Rafaela Murbach 13.937 -Marina Gabriela Pinto 11.83 8 - Ariadne Souza 10.52 


Respiramos duas Rodas

• Copyright (c) 2021 • All rights reserved • Under your spell DP •